Estagnada eletricamente fora da América do Norte, a GM foca em seus negócios chineses com a sócia SAIC que, além da Wuling, tem a marca Baojun como um dos players da joint-venture para atacar outras marcas locais.  O lado ruim disso é que essa ação está localizada somente na China e até o momento, a GM não fez nada para deter o avanço de marcas como BYD na América Latina, nem mesmo no México, onde a marca quer ter uma fábrica, assim como no Brasil.